Manipulação nas redes sociais para fins políticos atinge 48 países


Por: Sophus Tecnologia
Categoria: Tecnologia
01/08/2018

Foto
Imagem de: Raw Pixel em Unsplash

Entre 2010 e 2018, as eleições de pelo menos 48 países foram afetadas por campanhas que influenciaram os cidadãos em polêmicas políticas e manipularam o debate público nas redes sociais. É o que mostra o relatório divulgado no último dia 20 pelo Instituto de Internet da Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Segundo o estudo, países de todos os continentes sofreram com as chamadas “tropas cibernéticas” (ou cybertroops, no termo em inglês) nas redes sociais . Alguns casos são mais notórios, como o pleito norte-americano de 2016, que elegeu Donald Trump como presidente dos Estados Unidos, e o referendo do Brexit no Reino Unido, também ocorrido naquele ano.

Os pesquisadores também mapearam a manipulação de acordo com as organizações responsáveis por praticá-la. No caso do Brasil, as empresas privadas (três ou mais) e políticos e partidos (dois) foram os maiores influenciadores do debate público nas redes sociais durante as eleições de 2010, período analisado pela universidade.

As agências do governo, organizações civis e os próprios cidadãos também foram considerados responsáveis diretos pela manipulação das discussões ocorridas na internet. Nas Filipinas em 2016 e nos EUA em 2008, houve influência de todos esses atores definidos pela pesquisa - os únicos dos 48 países analisados em que isso aconteceu.

Clique aqui e leia o artigo completo!

Fonte: Tecnologia - iG


Voltar

CONHEÇA TAMBÉM OUTRAS SOLUÇÕES

Imagem serviço
Imagem serviço
Imagem serviço
Imagem serviço
Imagem serviço
Imagem serviço