Com apoio da Facesp, pequenos negócios são ressarcidos de calote milionário


Fonte: Diário do Comércio
Categoria: Finanças
03/08/2021

Foto

Por Cleber Lazo  02 de Agosto de 2021

Dinheiro na conta e esperança de dias melhores. Dois meses após a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) ser acionada para auxiliar os empreendedores de Garça e região, vítimas de um calote milionário deixado pela Semco Engenharia - empresa que prestou serviços de construção de uma praça de pedágio no município, as dezenas de micro e pequenas empresas, enfim, tiveram os compromissos pagos.

“O comércio não foi lesado. Estamos muito felizes. Ganhamos uma nova oportunidade de continuar trabalhando”, afirmou Paulo Henrique Bragante, proprietário da PH Bragante, que forneceu pedra e areia, serviço de frete, manutenção em maquinário e serviço de empilhadeira.

“Estou enormemente agradecida. Foi um período muito tenso, de nervosismo e de frustração, mas, agora, é momento de agradecer a Associação Comercial de Garça e a Facesp. O apoio foi enorme. Já tínhamos dado por perdido, mas graças a esta intervenção tivermos um final feliz”, ressaltou Rosemi Dias Ribeiro, dona do Restaurante Ponto de Encontro.

Apenas as dívidas deixadas em ambos estes estabelecimentos eram em torno de R$ 300 mil. Ao todo, a dívida deixada - agora paga - foi de cerca de R$ 2 milhões.

No final de maio, o presidente da Facesp, Alfredo Cotait Neto, esteve em Garça e se reuniu com o presidente da Associação Comercial e Industrial de Garça (ACIG), João Francisco Galhardo. Cotait tomou conhecimento da história e, imediatamente, iniciou os contatos para tentar solucionar a inadimplência deixada, diretamente com o governo do Estado.

Uma força-tarefa que envolveu Facesp, ACIG Garça, a concessionária Eixo-SP e Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) foi montada em busca de soluções. Ao longo deste período, diversas reuniões foram realizadas.

No dia 26 de junho, em reunião na sede da Facesp, com Cotait e o presidente da Artesp, Milton Ribeiro Persoli, o presidente da Eixo-SP, Sergio Ray Santillan, comunicou a decisão da companhia de arcar com os pagamentos das dívidas deixadas pela subcontratada.

Para efetivar o repasse dos valores, a força-tarefa juntou uma série de documentos dos fornecedores prejudicados, os quais comprovaram a prestação dos serviços, entre eles: notas fiscais, ordem de serviços, cupons, recibos, entre outros. O dossiê teve como objetivo atender às exigências do compliance da concessionária Eixo-SP.

Clique aqui e leia o artigo completo!

Imagem: Windows em Unsplash


Voltar

CONHEÇA TAMBÉM OUTRAS SOLUÇÕES

Imagem serviço
Imagem serviço
Imagem serviço
Imagem serviço
Imagem serviço
Imagem serviço
Imagem serviço